Tamanho da fonte:

Abrigo de Resíduos de Serviços da Saúde

Programa de Modernização do Hospital São Paulo

Novo abrigo em funcionamento no Hospital São Paulo. (Foto: Carlana Sartori)

O Hospital São Paulo está passando por um processo de modernização em sua estrutura física. Através de uma série de reportagens vamos acompanhar essas mudanças que vão desde a construção de um novo Abrigo de Resíduos até reformas na lavanderia, em calçadas e enfermarias.

Por exigência da ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária, o Hospital São Paulo precisou readequar seu Abrigo de Resíduos de Serviços da Saúde. Nele são depositados todos os dias o lixo hospitalar.

Conforme o responsável pelo setor no Hospital São Paulo, Augusto Pastori, o novo abrigo está funcionando desde julho deste ano e está dividido em categorias de resíduos:

Resíduos Infectantes: Compreendem materiais de assistência ao paciente, como: gases, curativos, algodão, pontos, entre outros. Este lixo é armazenado em sacos plásticos brancos, com identificação.

Resíduos Perfurocortantes: Compreendem agulhas, seringas, lâminas de bisturi e agulhas de sutura. São embalados em caixas próprias, chamadas descarpack.

Resíduos de Vidro: Compreendem ampolas e outros frascos de vidro. São embalados em sacos plásticos.

Resíduos Biológicos Hospitalares: Compreendem peças anatômicas do ser humano como placentas, amputações, bolsas transfusionais, entre outros resíduos. São mantidos congelados em um freezer antes do transporte.

Resíduos Químicos de Raio X: Compreendem basicamente revelador e fixador de Raio X, bem como lâminas de Raio X. São armazenados em galões, e recolhidos a cada 45 dias.
Atenção: Não descarte lâminas de Raio X no lixo comum, leve até o Hospital São Paulo para que seja dado o destino correto.

Resíduos Comuns: É o lixo comum produzido dentro do Hospital, reciclável e não reciclável.

Todos os resíduos, com exceção dos Perfurocortantes, são acondicionados dentro de bombonas de 200ml, que são lacradas, e recolhidas pela empresa responsável. O recolhimento é feito semanalmente, às quartas-feiras, pela SERESA – Serviços de Resíduos da Saúde, de Caxias do Sul, e após, incinerados, como determina a Lei. A exceção é com relação ao Resíduo Químico de Raio X, que é recolhido a cada 30 dias pela empresa Prata Mil.

Conforme Augusto, o novo Abrigo de Resíduos, continua seguindo a resolução do CONAMA – Conselho Nacional do Meio Ambiente, que determina a existência no local de um ponto de água, iluminação, boa ventilação, acessórios como luvas, máscara, avental e óculos de proteção.

por Rudimar Galvan - Cacique , dia 16/09/2011 às 06:58

Comentários

    Não há comentários para esta notícia.

Comente esta notícia

Entre em contato por email: falerapido@saofrancisco.am.br